quinta-feira, 25 de abril de 2013

JOVENS DE SP TEM EXPERIMENTADO "SAPO ALUCINÓGENOS" COMO NOVA DROGA

Reações: 

Jovens do Morro da Nova Cintra estão usando uma forma muito curiosa para se drogar. O "Néctar de sapo", como é chamado por alguns. Um entorpecente alucinógeno, extraído de sapos da região.
  A bufotenina é o princípio ativo do mecanismo de defesa do sapo Bufo alvarius, um tipo de veneno natural do sapo-cururu, tão comum em regiões de mata Atlantica, como na Lagoa da Saudade em Santos. Quando essa substancia é absorvida pelo metabolismo humano causa um efeito semenhante ao LSD e outras substancias alucinógenas sintéticas.

Bufo alvarius ou Sapo-cururu, na Lagoa da Saudade, Santos.

 Um adolescente de 19 anos, morador do bairro, que preferieu não se identificar, nos explicou que a droga é extraída direto do animal. O veneno é secretado após a compressão de glândulas, localizadas atrás dos ouvidos do sapo. Isso faz com que uma substância leitosa vaze, e as pessoas então a lambem, prática que recebeu o nome de "O beijo do sapo".
   No entanto, lamber fluídos produzidos por sapos nem sempre propicia uma "viagem" agradável, disse o jovem, que prefere, coletar a substancia em seringa, diluir em água e injetar via intravenosa.
"Apesar de não ser considerada ilegal, usar a bufotenina é arriscado, porque as pessoas não sabem quanto da toxina concentrada estão ingerindo até que seja tarde demais. Isso significa que podem não apenas sofrer alucinações fortes, como também paradas cardíacas e até a morte." Afirma o biólogo especialista em anfíbios, Bernardo Cavas.
Via: Jornal Santista

Nenhum comentário:

Postar um comentário