domingo, 27 de janeiro de 2013

TIROTEIO E CONFUSÃO DEIXAM UM MORTO E 4 FERIDOS NO PRÉ-CARNAVAL EM FORTALEZA

Reações: 
   Uma pessoa morreu e quatro ficaram feridas na madrugada deste domingo (27), no Bairro Elllery, em Fortaleza. De acordo com testemunhas que preferem não se identificar, moradores do bairro participavam das festas de pré-carnaval do Bairro Ellery, quando policiais do Comando de Policiamento Ronda do Quarteirão chegaram ao local e pediram para baixar o volume de "paredões de som". Um policial suspeito de ter disparado os tiros está preso, de acordo com o comando da PM.
   Os proprietários dos veículos com aparelhos de som se recusaram a reduzir o volume, de acordo com testemunhas. O uso de som automotivo é proibido nas festas de pré-carnaval de Fortaleza. Houve confusão e algumas pessoas que estavam no local jogaram pedras contra os policiais e o veículo da PM.
   Ainda de acordo com testemunhas, os policiais militares dispararam vários tiros, mas não há confirmação se os tiros que feriram e mataram as pessoas foram feitos pelos policiais. O comandante do policiamento do Ronda do Quarteirão, Paulo Sérgio, afirmou que não iria se pronunciar sobre o assunto. O tenente-coronel da Polícia Militar no Ceará Fernando Albano, relações públicas da corporação, não atende aos telefones para falar sobre o assunto.
   Familiares da vítima afirmam que as pessoas baleadas foram levadas pelos policiais ao hospital. "Os tiros foram por volta da meia-noite, e fiquei sabendo da morte da minha cunhada ainda na madrugada. As pessoas que foram baleadas não tinham nada a ver com a confusão dos paredões de som. Ela [a vítima] estava ajudando a mãe a desmontar uma barraca", conta uma testemunha, que prefere não se identificar.
   A vítimas foi identificada como Ingrid Maiara Oliveira Lima, de 18 anos. Um dos tiros atingiu a nuca e outra, as costas da garota. Um adolescente identificado apenas como Ígor Andrade, de 16 anos, ficou ferido com um tiro na cabeça. Ele foi levado ao hospital Instituto Doutor José Frota.
   A mãe de Ígor, Rileine Silva de Andrade, relata como ficou sabendo da tragédia: "Quando ouvi o barulho e disse 'é tiro'. Vamos buscar o Ígor. Quando chegando à esquina minha mãe vem aí diz 'o Ígor levou um tiro'. Mas eu pensei que era no braço, mas não foi no braço, foi na cabeça. Aí eu entrei em desespero", conta a mãe.
Fonte: G1CE

Nenhum comentário:

Postar um comentário