quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

NÚMERO DE INTERNADOS SOBE PARA 143 / SÓCIO DA BOATE KISS TENTOU SE SUICIDAR

Reações: 

Vítima do incêndio na boate Kiss chega a Porto Alegre de helicóptero para receber tratamento neste domingo (27) (Foto: Camila Domingues/Reuters)
   O número de feridos na tragédia em Santa Maria que precisaram de internação aumentou nas últimas horas, segundo a Força Nacional do SUS. Na manhã desta quarta-feira (30), 143 pessoas estão internadas em hospitais de Santa Maria e de Porto Alegre. Na terça-feira, o número era de 121 internados. O incêndio que atingiu a boate Kiss na madrugada de domingo (27) matou 235 pessoas.
   De acordo com Neio Pereira, diretor técnico do Grupo Hospitalar Conceição (GHC), o aumento do número de internações se dá principalmente pelos sintomas da pneumonite química, que atingiu os jovens que entraram em contato com a fumaça tóxica do incêndio.
   "É algo comum de acontecer alguns dias depois do incêndio. As pessoas começam a sentir falta de ar, dificuldade para respirar. Muitos que chegam em busca de atendimento precisam ficar internados", disse Pereira , que falou em nome da Força Nacional do SUS.
Pereira e a coordenadora regional de Saúde, Ilse Mello, afirmam que o total de pessoas internadas estado de saúde considerado grave segue em 75. Dos 81 pacientes internados em Santa Maria, 33 estão respirando com a ajuda de ventilação mecânica. Dos 62 internados em Porto Alegre, 57 estão em ventilação mecânica.
   O diretor técnico do GHC ainda destacou que algumas pessoas ainda podem apresentar o chamado estresse traumático. Uma equipe de profissionais de saúde do SUS e de voluntários esta sendo destinada apenas para auxiliar nestes casos, prestando apoio psicológico para as vitimas e familiares. "O estresse causado pelo trauma demorar até 72 horas para aparecer. As pessoas começam a entrar em depressão pelo luto, o que é normal", disse.
   O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, ainda está em Santa Maria, onde logo no começo desta quarta teve uma série de reuniões com a coordenação da Forca Nacional do SUS. Ainda nesta quarta, o ministro deve ir a Porto Alegre, onde fará uma visita no hospitais onde estão internadas as vitimas.
   A ultima vitima fatal foi registrada na noite de terça-feira (29). O jovem Gustavo Marques Gonçalves, que estava internado no Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre, não resistiu aos ferimentos e teve morte e encefálica confirmada.

Polícia diz que sócio de boate de Santa Maria tentou se matar

Interior da boate Kiss em foto divulgada nesta terça-feira (29) (Foto: Divulgação/Polícia Civil do Rio Grande do Sul)   A polícia de Cruz Alta disse que um dos sócios da boate Kiss tentou se matar na tarde desta terça-feira (29). Segundo a delegada Lylian Carús, Elissandro Spohr usou a mangueira do chuveiro. O policial que fica de plantão no quarto do empresário percebeu a intenção e o impediu. Um boletim de ocorrência foi registrado na Polícia Civil. Spohr está com prisão temporária decretada por cinco dias. No domingo (27), mais de 230 morreram na casa noturna de Santa Maria.
   "Ele fala que não tem mais vontade de viver, que não se achava em condições de carregar toda essa tragédia nas costas", disse ao G1 a delegada.
   Nesta tarde, o médico Paulo Viécile havia declarado que o paciente estava muito abalado. "O psicológico dele está arrasado. O paciente oscila crises de choro com crises de depressão. Chega a ter ideias delirantes, paranóicas. Está bastante comprometido emocionalmente", disse o médico Paulo Viécile. Até a manhã de quarta-feira (30) uma tomografia será realizada no empresário para saber se houve evolução no quadro clínico, mas a principal preocupação da equipe médica agora é tratar a questão psíquica de  Sphor.
   Aparentemente, segundo o médico, o dano pulmonar em um dos sócios da boate Kiss é leve, mas inspira cuidados. Mantido sob efeito de fortes sedativos,  Sphor não tem previsão de alta. Policiais estão de plantão em frente ao quarto do hospital desde que foi determinado o pedido de prisão temporária.
   "O sistema respiratório dele está em observação. Ele está muito perturbado emocionalmente. Não tem condições de alta. Qualquer indivíduo na situação dele, tem que estar internado, e é onde ele está", disse o médico.
   Para evitar que o estado emocional do empresário se agrave ainda mais, a equipe médica não permite que o paciente tenha acesso ao grande número de notícias veiculadas sobre o caso. "Esta grande possibilidade de culpas e do que pode acontecer fogem um pouco da realidade do que de fato ocorreu lá dentro e entra em choque com a realidade dele˜, explica o médico Paulo Viécile.
 Via: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário