sexta-feira, 13 de abril de 2012

EX-MOTORISTA DENUNCIA SUPOSTO ESQUEMA DE CORRUPÇÃO ENVOLVENDO EX-PREFEITO ESMERINO ARRUDA

Reações: 


ESMERINO ESTÁ COM AS CONTAS BANCÁRIAS BLOQUEADAS, E VICE QUE ASSUMIU, PODE SER CASSADO A QUALQUER INSTANTE 
Seis dias depois da renúncia de Esmerino Arruda (PSD) à prefeitura de Granja , a Câmara Municipal do município aprovou, em sessão realizada na quarta-feira, dia 11, abertura de processo político-administrativo contra o prefeito em exercício, Hélio Fontenele (PSDB). O próprio Esmerino também enfrenta problemas com denúncia de um ex-motorista dele que está sendo apurada pelo Ministério Público Federal. Hélio Fontenele responde a ações civis públicas na Justiça Federal por supostas irregularidades na aplicação de verbas do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef) na construção de poços profundos, na época em que era vice-prefeito. Entre os acusados, encontram-se a mulher de Esmerino e ex-prefeita de Granja, Carmen Salles Arruda, o ex-secretário de obras Francisco Marcelo Carvalho da Silva e uma funcionária pública do município. 
O motorista particular de Esmerino Arruda, Luiz Antonio de Brito, denunciou ao Ministério Público Federal (MPF) um suposto esquema de corrupção que envolve a neta do ex-prefeito, Ana Paula Arruda. De acordo com a denúncia, Esmerino viajava para Fortaleza levando quantidades altas de dinheiro a serem depositadas na conta corrente da neta. Esmerino e familiares tiveram os sigilos bancário e fiscal quebrados pela Justiça. O ex-prefeito teve todas as contas corrente bloqueadas. A renúncia de Esmerino foi entendida pelos vereadores de oposição do município como uma manobra para escapar à cassação. O ex-prefeito de 89 anos, porém, diz que renunciou à prefeitura por apresentar problema grave de saúde, comprovado, segundo ele, por atestado médico. Ele também afirma que a denúncia do ex-motorista foi baseada em uma declaração de imposto de renda encontrada em seu carro, erroneamente atribuída à neta. Esmerino garante que pode comprovar suas fontes de renda ao Judiciário. Até o fechamento da edição, Hélio Fontenele estava indisponível para contato.
Com  informações do Jornal O Povo
Comentários
1 Comentários

1 Comentários:

  1. Lamentável que os recursos públicos sejam usados para enriquecer oligarquias como essa de Granja. Um exemplo claro da Velha Política do chicote dominada pelo pão e circo.
    Enquanto isso, direitos básicos como saúde e educação de qualidade deixa de ser até sonho. A nossa juventude indo procurar outras regiões para ter uma oportunidade de trabalho.
    Se a moda pega e essas pessoas que trabalham com prefeitos, que conhecem como são desviados os recursos, desde as licitações fraudulentas, os contratos de "faz de conta" que "legalizam" o ilegal, os recursos "rachados" na construção de obras públicas, nas compras, nos alugueis de carros e imóveis,... Ah, se isso acontecer algum dia, todos nós iremos saber com se faz ficar rico. Como é feita multiplicação dos salários. Existe um verdadeiro laranjal que acoberta esse rosário de falcatruas.
    Espero com o dia em que a nossa cidadania seja posta em prática e que roubar seja motivo de rejeição aos que usam o cargo público para enriquecer a família e a quadrilha que os sustentam. Quem tem o poder de eleger-los é quem poderá um dia dizer: basta! vamos nos organizar e construir uma nova política. Vamos repartir o saber, a riqueza e o poder. Eles nos pertencem e todos têm direito.
    A nova política deve aproximar a nossa realidade do sonho de transformá-la.

    Abraço,

    Moésio Mota

    ResponderExcluir